• Procuradorias
  • PRT Belém
  • II Caminhada do Ministério Público contra a corrupção arrecada duas toneladas de alimentos

COMUNICADO

comunicado2

II Caminhada do Ministério Público contra a corrupção arrecada duas toneladas de alimentos

O evento contou com a participação de mil pessoas e destinou os alimentos arrecadados para cinco instituições filantrópicas

Aconteceu no último domingo, 15, a II Caminhada do Ministério Público contra a corrupção, o evento foi realizado em alusão a data 09 de dezembro que comemora o dia internacional contra a corrupção e ao dia 14 que celebra o dia do Ministério Público. A caminhada reuniu mil pessoas no parque estadual do Utinga e arrecadou duas toneladas de alimentos.

A caminhada teve a participação de diversos ramos ministeriais, Ministério Público do Trabalho (MPT), Ministério Público de Contas Estado do Pará (MPC-PA), Ministério Público de Contas dos Municípios do Estado do Pará (MPCM-PA), Ministério Público do Estado (MPPA) e Ministério Público Federal (MPF).

A procuradora chefe do Ministério Público do trabalho PA/AP (MPT), Cintia Leão, ressaltou a importância de manifestações contrárias a corrupção, “a caminhada é muito importante porque a corrupção é uma prática que vem destruindo o nosso país historicamente. A sociedade precisa se manifestar contrariamente a essa prática e o Ministério Público do Trabalho por ser tratar de uma instituição voltada para o cumprimento da ordem jurídica não poderia ficar de fora desse movimento”.

A procuradora-geral do Ministério Público de Contas do Estado do Pará (MPC-PA), Silaine Vendramin, também ressaltou a importância do evento “a caminhada mostra que se conseguirmos reunir todos os órgãos de controles, todos os ramos ministeriais, a gente consegue ser mais forte. Principalmente com a ajuda da população, o cidadão que é o detentor do controle social, que é o maior poder que existe para transformarmos e mudarmos o nosso país”.

Nesse ano, a caminhada também promoveu a inclusão social, sendo que 20% das inscrições foram realizadas por pessoas com deficiência. Segundo a procuradora chefe do MPC-PA a inclusão é para demonstrar que para combater a corrupção não há barreiras.

Os alimentos recolhidos no processo de inscrição foram doados para cinco instituições filantrópicas, que são: Comunidade Nova Zelândia, Casa do Menino Jesus, Creche Casa Lar Cordeirinho de Deus, Abrigo Especial Calabriano e Lar de Maria.



Ministério Público do Trabalho
Assessoria de Comunicação

Imprimir